21 de jan de 2017

O pé


O pé.
O invisível.
Visível só quando a unha encrava na carne, ou quando de tão só, marca encontros inesperados com as quinas dos objetos.
E os pés, na nossa extremidade, seguem abrindo nossos caminhos, nos levando a encontro de nossos sonhos.
Quando não, dão sinal ao resto do corpo, que trabalha sem saber ao menos meu nome, quem sois?
Desempenham ininterruptamente suas funções, rins, pulmões, baço, fígado, intestino, coração, sistema linfático, nervoso, imunológico, tudo trabalhando para o bem comum, para que o corpo mantenha-se forte e saudável para vier sua total capacidade de ser feliz.
Meu pé deu um sinal.
Ele, mais sábio que a mente, manda o sinal, e inchando me mostra; que está farto deste trato, ou melhor, do não trato que recebe de mim, e me avisa o quanto eu o abandono e abandono a mim mesma.

escrito em 21-08-16

Nenhum comentário: